Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2016

Background Sound #2

"Say you love me to my face I need it more than your embrace Just say you want me, that's all it takes Heart's getting torn from your mistakes Baby it looks as though we're running out of words to say And love's floating away
Just say you love me, just for today And don't give me time 'cause that's not the same Want to feel burning flames when you say my name Want to feel passion flow into my bones Like blood through my veins"
Há músicas que serão eternas contadoras de verdadeiras historias de amor em forma melódica, de forma simples.Tudo é dito num silencio partilhado por quem se quer amar sem validade. [esta é uma delas]

O Melhor do Meu Dia XXVIII

A ansiedade é inimiga de qualquer espírito, em particular do livre, do espírito que na maioria das vezes se foca na força mais positiva das energias. A ansiedade é mestre em criar dúvidas, por tudo em causa e em casos mais extremos fazer recuar a passos largos e ficar novamente a zeros.  A ansiedade faz o cérebro perder as diretrizes, esbofeteia o corpo com a sua agilidade de passar entre os pingos da chuva, de forma brilhante e em silêncio, daqueles onde nem o eco da boa vontade de quem nos rodeia consegue entrar e minimizar os estragos.
[amanhã é outro dia. e melhor. ]

[Me before You]

Entre uma história de amor, daquelas que nos faz parar, exigir menos é dar mais, e uma banda sonora que nos faz vibrar, e de alguma forma extravasar o que sentimos, lá estou eu a chorar compulsivamente, numa mistura de "isto é amor de verdade" e "há música que falam o amor como um jardineiro cuida o seu jardim", com cuidado, dedicação, em alto e bom som, até chegar ao coração. 
Ou então também sou mega foleira e a única que chora com os trailers dos filmes. Citando Ed Sheeran: 
"Inside these pages you just hold me And I won't ever let you go   When I'm away I will remember how you kissed me  Under the lamppost back on 6th street  Hearing you whisper through the phone  Wait for me to come home."
[só este pedaço da letra da música faz este post valer a pena. Pratiquem o verbo amar.]
*bom dia! 

Feira do Livro [em fotos]

A 86° edição da feira do livro terminou hoje  dia 13 Junho, este ano ainda maior com mais dez editoras e respectivas chancelas, as atracções infantis foram divertidas e muito diversificadas, num lugar onde o protagonista era o senhor de muitas páginas e sábio de histórias escritas com a harmonia e  diversidade da nossa língua, de seu nome, Livro.  Desde o infantil , passando pela adolescência, e chegando à idade adulta, do suspense e cómico, passando pelo terror e o policial, e chegando ao romance, este último protagonista de muitos corações acelerados e olhos inundados de lágrimas emocionadas, por histórias que outrora lhes disseram algo ou simplesmente pela sua intensidade.  Um Livro, quando é bom, não olha a sexos, é para todos os gostos e feitios e só os que o julgam pela capa é que perderão muito da potencialidade deste objecto, que muitos querem em grande quantidade e qualidade.  A nível pessoal esta edição foi feita de reencontros e encontros, uns marcados outros inesperados, mas …

A Mãe Já Vai - O livro

Neste mundo que é a internet - blogosfera em particular estamos sempre a descobrir novos ninhos onde a escrita é tratada com o mesmo amor com que tratamos quem frequenta a nossa casa.  Há quem diga que já  existem casas a mais por este mundo, mas eu gosto de acreditar que há mais pessoas a quererem praticar o verbo acolher numa dimensão maior e igualmente genuína. O blog, - entenda-se casa - a mãe já vai, - agora em formato livro lindo cheio de amor e ilustrações maravilhosas - tem a força de uma casa já  antiga, ainda que a sua estrutura seja pintada de fresco.  Entrei nesta casa, sem saber que era da pessoa que há poucas horas atrás tinha estado no mesmo elevador - no lançamento do livro  de uma pessoa que ambas admiramos - fiquei feliz quando me apercebi quem era, mas antes disso apaixonei-me pelo título, - é dos melhores e mais apelativos que já li - pelos filhos, pela escrita simples, aquela escrita sem grandes artefactos e essencialmente escrita com o coração nas mãos, para o bem e…